20 de março de 2010

Leonel Nunes revisitado

Um Pepino Entre os Tomates é sem dúvida uma das composições musicais com mais valor em Portugal. Fica aqui uma análise à sua letra que traduz várias mensagens de uma forma que tem tanto de sublime como de genial.

Fui da Cidade para o Campo
Para fugir à confusão
Para ouvir cantar o galo
E ter uma plantação

Para ter um tomatal
Comprei tomate em semente
Cavei, plantei e reguei
Dediquei-me inteiramente

O apelo ao voto na ala liberal de esquerda é o que há a reter das duas primeiras quadras. A fuga da cidade para o campo é uma crítica implícita ao modelo urbanístico português que, no seu entender, não permite a pequena produção agro-pecuária em terrenos citadinos. Este ambientalismo  provém dos partidos liberais e confirma esta sua preferência política com o apoio à pequena iniciativa privada que o próprio empreende no seu tomatal. Aceita o capitalismo mas defende a criação do próprio posto de trabalho.

Não sei como aconteceu
No meio do tomatal
Cresceu um pepino tão grande
Nunca se viu coisa igual


Fazia um grande contraste
Por ser grosso e ramalhudo
Um pepino entre os tomates
Estava um caso bicudo


Numa vertente mais filosófica, Leonel, através da metáfora de um pepino no tomatal, quer dizer a todos os que o escutam que a vida é feita de surpresas. O seu ideal político também pode ser extrapolado na sua descrição do pepino, grosso e ramalhudo, no meio dos tomates. Uns com tanto e outros com tão pouco, as injustiças sociais descritas como um caso bicudo.

Pensei logo em arracá-lo
Com uma erva daninha
Mas veio a correr
Minha boa mulherzinha

"Oh homem não te precipites
Deixa o pepino onde está
Para fazer boa salada
Melhor que isto não há"

Do alto da sua nobreza, Leonel remata esta bela obra poética com uma bela ode à igualdade do ser humano. Primeiro, sempre subtil, o elogio à mulher e à sua capacidade intelectual, sempre perspicaz e capaz de descortinar quais os legumes indicados. Também o apelo ao não corte do pepino é um apelo ao fim do racismo. O pepino não é mais do que uma metáfora das raças desfavorecidas e o facto de ser indicado para fazer salada é a transmissão da mensagem que todo o ser humano é bom em alguma coisa.

3 comentários:

Mariane Reis disse...

podias te dedicar inteiramente a isso xD muito bom x)

Siegfried disse...

LEONEL, FAZ-ME UM FILHOOOO!!!

cthewisewoman disse...

O Leonel é o maior!
E tu também és grandinho, va...

Ja adicionei o teu blog ao meu ;)

Cátia.

Publicidadezinha